Seja bem vindo ao nosso site RÁDIO PETROLINA FM 98,3, petrolinafm.com!

Buscar  
Hora Certa

Redes Sociais
Nenhuma programação cadastrada
para esse horário
+ Acessadas
Mulher é agredida com socos pelo companheiro no Dom Avelar em Petrolina
Minha Casa Minha Vida terá mudanças
Irmã de vice-prefeito de Bodocó (PE) presa por racismo é nomeada secretária de Igualdade Racial em Pernambuco
Enquete

Na sua opinião, o Hospital Universitário deve servir só a Petrolina?

Não

Sim


Videos
12/03/18Gusttavo Lima - Apelido Carinhoso
Publicidade Lateral
Banner Lateral 03
Banner Lateral 02
Equipe
Lelson Santos - Apresentador do Programa Resenhando
Calian Lima - Sonoplasta e Programador
Cesar do Lau - Apresentador do Forró e Poesia
Nina Duarte - Gerente Adm/Financeiro/Comercial
Edenevaldo Alves - Apresentador/Gerente de Programação
Evanilson Barbosa - Apresentador do Rota 98
Top Música
1
Desejo De MeninaMinha Princesa
2
Ivete e CrioloLábios De Mel
3
Wesley SafadãoNão Conto
4
Gustavo LimaMilu
5
ZE VAQUEIRODECIDA
6
TIERRY FEAT GUSTAVO LIMAACERTOU NA MOSCA
7
DANIELCASAVA DE NOVO
8
DIEGO E VITCTOR HUGO FEAT SAIA RODADAPISADINHA
9
MAIARA E MARAÍSAAÍ EU BEBO
Bate Papo

Digite seu NOME:

Estatísticas

Visitas: 3462125

Usuários Online: 16

Brasil

FHC diz em livro que rejeitou nomear Cunha para a Petrobras em 1996

Publicada em 06/10/15 às 09:11h - 437 visualizações RÁDIO PETROLINA FM 98,3,

Link da Notícia:
Compartilhe
   

FHC diz em livro que rejeitou nomear Cunha para a Petrobras em 1996
 (Foto: RÁDIO PETROLINA FM 98,3,)

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso escreveu em um diário sobre seu período na Presidência (1995-2002) que, em 1996, rejeitou nomear o atual presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para a diretoria comercial da Petrobras, informou a edição deste mês da revista "Piauí".

De acordo com trecho do diário, que segundo a revista resultou no livro "Diários da Presidência", a ser lançado até o fim do mês, deputados do Rio de Janeiro visitaram FHC em 22 de março de 1996 para pedir a nomeação de Cunha para a diretoria da estatal. O ex-presidente negou e disse que havia "problemas" com esse nome. Ele escreveu que Cunha, quando presidiu a Telerj, havia feito "trapalhadas".

"Na verdade o que eles querem é nomear o Eduardo Cunha diretor comercial da Petrobras! Imagina! O Eduardo Cunha foi presidente da Telerj, nós o tiramos de lá no tempo de Itamar porque ele tinha trapalhadas, ele veio da época do Collor. Eu fiz sentir que conhecia a pessoa e que sabia que havia resistência, que eles estavam atribuindo ao Eduardo Jorge; eu disse que não era ele e que há, sim, problemas com esse nome. Enfim, não cedemos à nomeação", reproduziu a revista.

Segundo a "Piaui", FHC registrou em um gravador o dia-a-dia do trabalho em Brasília. No dia 23 de março de 1996, o ex-presidente conta que recebeu, no dia anterior, os parlamentares do Rio que queriam a nomeação de Cunha, liderados pelo ex-deputado e ex-senador Francisco Dornelles.

Fernando Henrique ainda registrou no diário que, ao contrário do que imaginavam os parlamentares do Rio, a resistência à indicação de Cunha não vinha do então secretário-geral da Presidência, Eduardo Jorge. FHC disse que havia "problemas" com o nome de Cunha.

Se isso aconteceu, foi pedido sem meu conhecimento. A única coisa que me recordo do tempo dele de presidente foi o movimento de deputados para que eu retornasse à Telerj, empresa a qual presidi."
Deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, pelo Twitter

Cunha comenta
Cunha se manifestou sobre o assunto na manhã desta segunda-feira (5) por meio de de sua conta no Twitter. Ele escreveu que não tinha conhecimento do pedido para que assumisse a diretoria comercial da Petrobras.

"Mesmo assim movimento que não contava com a minha concordancia,ja que não queria voltar para trabalhar em governo", completou Cunha.

PFL
"Hoje veio a bancada do PFL de Minas tomar café da manhã comigo. Todos dizem que têm questões menores, que não querem conversar comigo, que eu designe quem tratará do assunto, e eles só querem umas nomeaçõezinhas, uns contratinhos, essas coisas, o beabá dessa política empobrecida.

Mas discutimos os grandes temas. Levantaram as dúvidas gerais, dei uma quase aula sobre a situação do Brasil, foi agradável. Não vai mudar nada enquanto não se fizerem as nomeações que estão desejosos de ter. [...]." (em 28 de novembro de 1995)

José Serra
"Tive uma longa conversa com Serra. Aí sim, fomos mais a fundo a respeito da nossa relação. Ele voltou a dizer que eu acho que foi contra o Plano Real, que não foi contra o Real, que ele não acreditava [na possibilidade política de o pôr em prática], eu sei que é isso. Voltei a explicar a ele o porquê de o Malan ser o ministro da Fazenda, Serra concorda comigo que é porque dá a sensação de estabilização. Disse-lhe o que esperava de cada um e que não adianta tentar resolver questões que não têm solução, não posso mexer agora com o Banco Central. [...]." (em 9 de dezembro de 1995)

Ministérios
"[...] Agora no fim da noite, encontrei a Dorothea [Werneck, ministra da Indústria, do Comércio e do Turismo]. Estava aflita pelas notícias de que o ministério dela podia ser barganhado com o PPB. Expliquei que não era assim, isso cria um ânimo ruim, desmoraliza as pessoas que estão trabalhando no ministério. É uma coisa lamentável, a gente tem que fazer frente a essas fofocas que saem na imprensa e que levam a situações desagradáveis, de que eu não gosto, de incerteza. [...]." (em 24 de março de 1996)

"Parece que o PPB não aceita o Ministério da Reforma Agrária sem o Incra. [...] [O ex-deputado federal e ex-ministro, morto em janeiro de 2013] sugeriu que ampliássemos a oferta e incluíssemos o Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo. Isso para mim é dolorido, por causa da Dorothea, que é uma ministra de quem eu gosto, e ela tinha que ser avisada dessa manobra." (em 25 de abril de 1996)

"Enfim, começo a sentir o travo amargo do poder, no seu aspecto mais podre de toma lá, dá cá, porque é isto: se eu não der algum ministério, o PPB não vota; se eu não puser o Luiz Carlos Santos, o PMDB não cimenta, e muitas vezes - o que Dorothea diz tem razão - fazemos tudo isso e eles não entregam o que prometeram. [...]" (em 25 de abril de 1996)

Eldorado dos Carajás
"Hoje está claro o que aconteceu no Pará: foi um massacre. Houve um incidente com um grupo de pessoas que ocupou uma estrada, o governador do Pará mandou a polícia local desobstruir essa estrada, e ela cometeu o massacre. Nada a ver diretamente com a reforma agrária. Não obstante, fica parecendo que tudo isso é consequência da falta de reforma agrária. Tudo bem, é normal que assim seja, mas essa também é uma nova política do PT e associados, de acabar jogando a culpa no governo federal, pois a reforma agrária está no plano federal. O que, aliás, é outro erro."

(Fonte: G1)




ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Parceiros
AV. Francisco Coelho de Amorim , Nº 45, BAIRRO: José e Maria, CEP 56320-440 - PETROLINA/PE FONES: (87) - 3867.1049 - (87) - 3861.5555 - (87) 8802.1892 EMAIL: radiopetrolinafm@hotmail.com ou petrolinafmcomercial@hotmail.com - por Site Gerenciavel
Copyright (c) 2023 - RÁDIO PETROLINA FM 98,3, - Todos os direitos reservados
site, tv, videos, video, radio online, radio, radio ao vivo, internet radio, webradio, online radio, ao vivo, musica, shows, top 10, music, entretenimento, lazer, áudio, rádio, música, promocoes, canais, noticias, Streaming, Enquetes, Noticias,mp3,Blog, Eventos, Propaganda, Anuncie, Computador, Diversão e Arte, Internet, Jogos, Rádios e TVs, Tempo e Trânsito, �ltimas Notícias, informação, notícia, cultura, entretenimento, lazer, opinião, análise, jogos, Bandas, Banda, Novos Talentos, televisão, arte, som, áudio, rádio, Música, música, Rádio E TV, Propaganda, Entretenimento, Webradio, CD