Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019

Buscar  
Redes Sociais


Hora Certa


Locutor (a)
MUSICAS PROGRAMAÇÃO RADIO
Enquete
Na sua opinião, o Hospital Universitário deve servir só a Petrolina?

 Sim
 Não

Publicidade Lateral
Top Música
1
A Culpa é Sua
Léo Satana
2
Sapequinha
Eduardo Costa
3
Minha Princesa
Desejo De Menina
4
Lábios De Mel
Ivete e Criolo
5
Não Conto
Wesley Safadão
6
Milu
Gustavo Lima
Estatísticas
Visitas: 2113114 Usuários Online: 64


Bate Papo

Digite seu NOME:


Mundo

Publicada em 01/10/15 às 07:57h - 197 visualizações
Apesar de apelo do papa, mulher é executada nos Estados Unidos

RÁDIO PETROLINA FM 98,3,


 (Foto: RÁDIO PETROLINA FM 98,3,)

As autoridades do estado da Georgia, Sudeste dos Estados Unidos, executaram na madrugada de hoje (30) Kelly Gissendaner, 47 anos. Ela foi condenada à morte há 18 anos, pelo assassinato do marido Douglas Gissendaner. O papa, em  discurso no Congresso dos Estados Unidos, na última quinta-feira, pediu a eliminação da pena de morte nos Estados Unidos e fez um apelo à Justiça norte-americana em favor da preservação da vida de Kelly.

Kelly morreu após receber injeção letal na região metropolitana de Atlanta. Ela é a primeira mulher a ser executada no estado desde 1945.

Ontem (29) à noite a imprensa norte-americana divulgou que várias moções foram apresentadas pelos advogados que acompanhavam o caso perante a Justiça da Georgia e até na Suprema Corte do país para impedir a aplicação da injeção letal. A execução chegou a ser adiada por algumas horas, mas a decisão final dos juízes foi rejeitar o pedido.

Segundo os advogados de Kelly, os filhos se empenharam em tentar impedir a execução da mãe. A carta com o pedido do papa foi enviada à Junta de Liberdade Condicional da Georgia, assinada e entregue por meio do arcebispo do estado, Carlo María Vigano.

A imprensa local teve acesso à carta, que dizia: "Como representante de sua santidade, faço uma petição urgente e, em seu nome, peço que alterem a pena de morte da senhora Kelly Gissendaner".

Kelly Gissendaner, condenada em 1997, matou o marido com a ajuda do amante Gregory Owen. Em sua última refeição, ela pediu batatas fritas, molho de queijo, fajitas nachos ( prato típico de comida rápida mexicana feito de carne) e limonada dietética gelada.

Juristas ouvidos pela imprensa norte-americana afirmam que a natureza do crime cometido por ela justificava a pena de morte, porque se aplica a um tipo de delito - no estado - que prevê a pena de morte.

(Fonte: Agência Brasil)




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


Parceiros

AV. Francisco Coelho de Amorim , Nº 45, BAIRRO: José e Maria, CEP 56320-440 - PETROLINA/PE FONES: (87) - 3867.1049 - (87) - 3861.5555 - (87) 8802.1892 EMAIL: radiopetrolinafm@hotmail.com ou petrolinafmcomercial@hotmail.com - por Site Gerenciavel
Copyright (c) 2019 - RÁDIO PETROLINA FM 98,3, - Todos os direitos reservados